Aguarde. Carregando conteúdo

A Gaiola e a sua importância para rolamentos

MAR
2017
A Gaiola e a sua importância para rolamentos

Os rolamentos em geral possuem como principais componentes o anel interno, externo, os elementos rolantes e a gaiola (separador). Cada uma destas partes possui mais de uma opção e que deve ser selecionada durante o dimensionamento do equipamento de acordo com as exigências da aplicação. 1

Por exemplo, nos anéis é possível variar o aço utilizado e o tratamento térmico, a presença ou não de rasgos e furos para lubrificação, entre outras características. Já os elementos rolantes possuem formatos diferentes como esferas, agulhas, rolos cilíndricos, esféricos e cônicos. Com as gaiolas não é diferente, o material, o formato, o processo de fabricação são algumas características que alteram sua funcionalidade e consequentemente a do rolamento. Neste Tech News abordaremos a importância da seleção correta da gaiola para sua aplicação.

Primeiramente, precisamos entender as funções das gaiolas, que são:

· Separar os corpos rolantes para manter o atrito e a geração de calor tão baixos quanto possível;

· Manter a mesma distância dos corpos rolantes entre si, para que a carga seja distribuída de forma uniforme;

· Guiar os corpos rolantes na zona livre de carga;

· Evitar que, em rolamentos separáveis ou basculháveis, os corpos rolantes se desprendam;

As gaiolas são classificadas pelo material no qual são fabricadas, sendo que a adoção destes resultará em processos produtivos e formatos diferentes.

As principais são:

Gaiolas de Aço: modelo mais comum e com grande disponibilidade, pode ser encontrada em uma peça única ou em duas peças rebitadas, grampeadas ou soldadas. Não limita a temperatura de funcionamento do rolamento, mas não apresenta bom desempenho em aplicações onde há presença de vibrações ou acelerações e desacelerações repentinas. 2

Gaiolas de Latão: possuem como principal característica a excelente resistência em aplicações com presença de vibrações. Pode ser usinada ou estampada. Não limita a temperatura de trabalho, bom coeficiente de atrito e resistência a acelerações e desacelerações repentinas.

3

Gaiolas em material sintético (Poliamida e Resina Fenólica – Celeron): dentre as opções em material sintético a mais utilizada é a gaiola injetada de poliamida reforçada com fibra de vidro. Como resultado, têm-se um separador leve com baixo coeficiente de atrito e baixo nível de ruído. Melhor opção para aplicações com grandes rotações e acelerações e desacelerações repentinas, entretanto não suporta temperaturas superiores a 120°C.

4

Outra classificação se dá pelo tipo de guia de cada modelo de gaiola:

5

Conforme a imagem acima, o modelo centrado pelos corpos rolantes é o mais comum. Em aplicações vibrantes, com cargas de choque, grandes velocidades e variações de velocidade as gaiolas centradas pelo anel interno ou externo são utilizadas. Outro caso importante, são em situações com lubrificação a óleo por gotejamento. É certo que a opção standard utilizada nos rolamentos é escolhida pelo fabricante baseada no melhor custo-benefício para o usuário final.

Por fim, segue abaixo tabela comparativa entre os principais modelos de gaiola disponíveis no mercado:

6

7

Agora que você sabe um pouco mais sobre os modelos de gaiola, vale salientar que a disponibilidade delas varia. Para cada tipo de rolamento existe uma gaiola padrão, testada e aprovada pelos fabricantes como melhor concepção para a maioria das aplicações.

Nós da Romaço Rolamentos podemos auxiliá-lo a identificar a melhor opção para a sua necessidade.

Conte sempre com a Romaço!

Referências: Catálogo SNR – Tecnologia dos Rolamentos Rolamentos FAG Catálogo WL 41 520/3 PB – Edição 1999

Elaborado por: Eng. Otávio Paulo Schossland Fernandes

Envie sugestões para:
technews@romaco.com.br
Receba a Tech News por email: Cadastre-se Ver todas as Tech News